Fórum Inativo!

Atualmente Lodoss se encontra inativo. Saiba mais clicando aqui.










Vagas Ocupadas / Vagas Totais
-- / 25

Fórum Inativo!

Saiba Mais
Quadro de Avisos

>Dizem as más línguas que o anão Rookar, que fica no Porto Rangestaca, está procurando por mercenários corajosos - ou loucos - que estejam afim de sujar as mãos com trabalhos "irregulares". Paga-se bem.

> Há rumores sobre movimentações estranhas próximas aos Rochedos Tempestuosos. Alguns dizem que lá fica a Gruta dos Ladrões, lar de uma ordem secreta. Palavra de goblin!

> Se quer dinheiro rápido, precisa ser rápido também! O Corcel Expresso está contratando aventureiros corajosos para fazer entregas perigosas. Por conta da demanda, os pagamentos aumentaram!

> Honra e glória! Abre-se a nova temporada da Arena de Calm! Guerreiros e bravos de toda a ilha reúnem-se para este evento acirrado. Façam suas apostas ou tente sua sorte em um dos eventos mais intensos de toda ilha!




Quer continuar ouvindo as trilhas enquanto navega pelo fórum? Clique no botão acima!

[Ficha] Indra no Kitsune II

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Ficha] Indra no Kitsune II

Mensagem por Indra no Kitsune II em Ter Mar 29, 2016 4:14 am

Nome: Indra II
Idade: 20 anos
Sexo: Masculino
Altura: 1,89m
Raça: Meio-Feral
Lodians (L$): 0

Nível: 1 / Exp: x/1000

Aparência: Alto e vigoroso, Indra possui longos e grosso fios de cabelo, que mais se parece com uma pelugem vermelha grená de animal, mais especificamente raposa, seus olhos avermelhados possuem pupila negra em vertical, característica que o qualifica como um predador; seu rosto fino levemente bronzeado ostenta aspectos curiosos, como, orelhas pontudas, semelhantes a de elfos e seis marcas horizontais nas bochechas, como se ainda no útero, o jovem fora arranhado por garras. Costuma usar vestimentas leves de seda, aparentemente originarias do oriente. "Indra II"

Personalidade:  Kyuubi no Kitsune, como é chamado, é um tanto quieto e reservado, chegando a ser frio e até cínico em alguns momentos, não é do tipo que se relaciona fácil com qualquer outra raça (principalmente humanos), dificilmente inicia um dialogo que não o interessa e frequentemente se isola da sociedade para evitar tais diálogos, se por um lado é totalmente desinteressado em relação as pessoas, por outro lado é um amante da mãe natureza, sempre a protegendo e tratando-a com gentileza e respeito, afim de um dia ter suas duvidas respondidas pelo "espírito da floresta". Em relação aos caminhos do bem e do mal, Indra caminha a meio fio, não segue um nem outro, e quando questionado sobre sua ideologia, o mesmo se justifica com a frase: "O bem e o mal, são questão de opinião, para isso é dado a razão". Passa a maior parte de seu tempo meditando, em busca de uma conexão com seu eu interior, sempre com o mesmo objetivo de descobrir qual seu propósito no universo.  

Terra Natal: Reino de Hilydrus - Florestas de Hirt

Atributos:

Força: 2 / [Rank E]
Energia: 4 / [Rank D]
Agilidade: 4 / [Rank D]
Destreza: 2 / [Rank E]  
Vigor: 2 / [Rank E]  

Habilidades Especiais: H.E. Indra II

História:
Spoiler:
Lua e Sol, yin e yang, bem e mal... Há tempos, ambos os lados vêm se enfrentando, batalhas, conflitos, desavenças, seja qual for a situação, estarão presentes sempre o bem e o mal; não é diferente quando se trata de forças cósmicas, onde criaturas com habilidades mágicas, comparadas a semideuses, protagonizam combates que podem significar o começo ou o fim.

Em uma era desconhecida, as reencarnações da luz e da escuridão chocavam-se entre si, eram elas a ordem Zenko e a seita Yako, ninguém ao certo sabia de onde ambas haviam surgido, só que seus membros eram criaturas ferais incrivelmente poderosas. A ordem Zenko, também conhecida como exercito de Inari, era a benevolência em ser, lutavam a favor do bem de todas as raças, prezava a justiça e a parceria entre todas as almas do universo; já a seita de Yako, era o mal encarnado, criaturas malignas que só pensavam em si e em seus semelhantes demoníacos, impunham a soberania cósmica, onde apenas ferais do clã Kitsune tinham direito a liberdade, enquanto todas as outras raças seriam escravizadas e sacrificadas em nome do Deus Yako criador de todos os ferais Kitsune (ferais raposa).

No campo de batalha, os dois exércitos estiveram sempre equilibrados, a magia dos Yako era poderosa, mas a luz é naturalmente mais efetiva do que a escuridão, e para anular essa efetividade, os Yako precisavam de uma magia negra poderosa, que fosse originaria das trevas mais profundas, foi ai que surgiu Indra, a reencarnação de parte da consciência de Yako, e o predestinado a servir de recipiente para o Deus Yako ressurgir após sua condenação no tártaro.

Indra fora introduzido e treinado desde muito cedo as artes arcanas, o jovem logo demonstrou potencial para tais ensinamentos e logo aos 7 anos já era tido como um prodígio, ao completar 15 anos de idade, Indra passou pelo primeiro ritual de transferência de consciente, afinal a única coisa que importava aos Yako era que o corpo de Indra suportasse todo o poder do Deus; sem resultado nos primeiros rituais, os Yako logo perceberam que algo estava a bloquear a saída da consciência de Indra, esse algo vinha da ordem Zenko, onde com a habilidade de clarividência uma bruxa do clã viu diante de seus olhos todo o plano de seus adversários e assim passou a impedir as tentativas de magia negra dos Yako através de magias cósmicas dominadas pela ordem. A partir daquele momento, a única coisa que importava para os Yako era matar a bruxa para que o ritual fosse realizado, porem tal tarefa não era fácil, dezenas e dezenas de "irmãos" foram designados pelos Yako em vão para cumprir a missão, a bruxa era poderosa, e suas habilidades de clarividência só prejudicava mais os enviados.

Anos se passaram e a caçada a bruxa continuo, ainda sem resultados, Indra já estava com seus 22 anos e já era um hábil guerreiro das artes arcanas, foi ai que tal missão foi designada ao mesmo, como prova de que merecia servir de recipiente para o Deus Yako, o jovem precisaria matar a bruxa que a tantos anos interrompia esse feito. O encontro fora uma verdadeira carnificina, o poder de ambos acabara sendo muito equilibrado e resultado do confronto resultara na aniquilação de ambos, pelo menos era isso que a seita Yako e a ordem Zenko achavam, se engana quem acredita na morte dos dois, na verdade o que realmente aconteceu, foi o amor que ao primeiro lance de olhares vencera qualquer desavença familiar entre aqueles dois seres. Com isso ambas ordem Zenko e a seita de Yako se extinguiram através de uma grande guerra.

O amor entre os dois ferais, crescia cada vez mais, e com o fim da guerra entre as kitsunes, o casal pode finalmente viver em paz sem se esconder, porem um desejo da parte de ambos não pudera se realizar, esse desejo era de gerar um filho, herdeiro que pudesse levar em diante a paz que seus pais haviam conquistado após tantos confrontos, tal vontade não poderia ser realizada, graças a barreira do bem e do mal imposto pela doutrina cósmica que interrompia o simples ato de acasalar resultar em um filho, foi ai que em um ato de amor, Indra sacrifica seus poderes e habilidades ferais, para se transformar em um humano puro que não sofresse as doutrinas cósmicas, enquanto a bruxa, quebra seu pacto com as forças cósmicas sacrificando suas habilidades de clarividência para então gerar um herdeiro, e a essa criança foi dado o nome de Indra II.

O casal e a criança meio-feral, passaram a viver em paz por algum tempo, ambos viviam em uma densa floresta no sul do continente, com a companhia apenas dos animais que lá habitavam, em um dia então, um grupo de caçadores entra na floresta em busca de animais para caçar e especiarias encontradas apenas naquele local, é nesse dia que a paz da família chega ao fim; em um terrível desencontro do destino, os caçadores encontram o esconderijo do casal mestiço onde a família permanecia dormindo, foi ai então que a crueldade do ser humano caiu sobre aqueles que ali estavam, por não aceitarem a miscigenação daquele casal, os caçadores abateram ambos sem piedade, sem que os mesmo tivessem ao menos a oportunidade de se defender, o único a se salvar dessa carnificina foi Indra II, que por instinto de sua mãe foi coberto da cabeça aos pés por um pano, e consequentemente ocultado da visão dos caçadores.
 
Passados 19 anos desde o incidente, Indra II não se lembra de nada que ocorreu naquela data, muito menos de como chegou até aquela idade sem os cuidados de alguém, o mesmo acredita ter sido cuidado pelos espíritos da floresta, já que desde que tem lembranças de sua vida sempre esteve naquele lugar, sua distancia com a sociedade desenvolveu discriminação em relação a outras raças, principalmente humanos, isso porque em seus poucos contatos com tais, foram durante queimadas e caçadas.               

--------------------

Contato Pessoal: igorandrew33@gmail.com
avatar
Indra no Kitsune II

Pontos de Medalhas : 0
Mensagens : 2

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum